Profane Order – Um mundo de influências

Da Florida à Finlândia, passando pelo Canadá, de onde são oriundos, os Profane Order recolheram os elementos com que construíram o seu Black/Death Metal.

Info: Profaneorder
Entrevista: CSA

Tenho estado a ouvir as reedições de dois dos vossos lançamentos que o Loïc F. me enviou juntamente com o álbum «Hammer of the Heretics» dos Autokrator e isso despertou a minha curiosidade pelo trabalho de Profane Order. Podem resumir a história da banda até agora?
Surgimos algures entre 2014 e 2015 e pretendíamos tocar Black/Death Metal. Já nos conhecíamos devido às nossas bandas anteriores (Spectral Wound e Subsits).

Vocês são canadianos, mas o vosso Death Metal segue os padrões dos EUA (ou seja, é diferente do estilo europeu, nomeadamente do escandinavo). Concordam comigo?
Quando estamos a compor, deixamo-nos sempre influenciar pelo Death Metal dos anos 90 vindo da Florida. Por outro lado, quando lançámos este projeto, não queríamos soar como qualquer outra banda de Death Metal. Pretendíamos combinar a ferocidade e a fealdade do Death Metal com uma abordagem mais crua, menos técnica e próxima do Black Metal. É na Finlândia que se encontram as bandas que nos inspiraram fortemente nessa altura.

Então que bandas vos influenciam (ou influenciaram)?
Blasphemy, Conqueror, Revenge, Black Witchery, Archgoat, Diocletian, Ride for Revenge, etc.

Por que decidiram reeditar estes dois lançamentos?
Muito simplesmente porque nos pediram para o fazer. A verdade é que as duas cassetes esgotaram rapidamente.

Quando estamos a compor, deixamo-nos sempre influenciar pelo Death Metal dos anos 90 vindo da Florida. […]”

Que lugar ocupam estes trabalhos na vossa discografia? Quais são as semelhanças e diferenças entre eles?
«Marked by Malice» representa uma banda que está à procura do seu caminho. «Tightened Noose of Sanctimony» já mostra uma banda que sabe para onde vai e segue o caminho escolhido.

Estou consciente de que vivemos num mundo global em que as distâncias estão constantemente a desvanecer-se. Mas como tiveram a ideia de fazer estas reedições através da Krucyator Productions, que está sediada numa pequena cidade francesa? [É claro que não podemos descurar o trunfo representado pelo excelente trabalho do Loïc.] Gostariam de fazer um novo lançamento (álbum/demo/EP/split) com ele no comando das operações?
Fomos contactados por várias editoras nos meses que se seguiram ao lançamento de «Tightened Noose…», mas optámos por esperar pela que seria realmente capaz de concretizar as nossas expetativas. E isso aconteceu com a Krucyator. O Loïc desenvolveu imenso trabalho para garantir este lançamento e ficou claro para nós que é isso que o apaixona. O tempo dirá que oportunidades iremos ter, mas, de momento, estamos disponíveis para continuar a trabalhar com a Krucyator.

Como é Profane Order recebida na Europa? Parece-vos que estas reedições vos vão tornar mais conhecidos e mais populares entre os metalheads europeus
Ainda é muito cedo para tirar conclusões.

Tencionam lançar novo álbum em breve? Será semelhante aos seus predecessores ou uma marcará uma nova senda na vossa demanda musical?
«Tightened Noose…» vai ser lançado como um split LP com Pig’s Blood através da Regain. A demo deles será gravada no outro lado. Estamos a viver o processo de composição de um álbum com o propósito de levar mais longe o que fizemos até agora e melhorá-lo tanto quanto possível. Se não ficar melhor do que o que já lançámos, continuaremos a trabalhar nele até atingir o ponto ideal.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*