MOONREICH – «Fugue»

Os Franceses Moonreich apresentam-nos o seu quarto álbum em «Fugue» com uma abordagem bastante melódica e algo psicadélica ao seu black metal. Nota-se a procura de uma sonoridade única, que os diferencie das restantes bandas da cena, num exercício que é de saudar. Com sete relativamente longas faixas, tendo a mais curta a duração de 5 minutos, os Fugue dão-se ao luxo de construir e experimentar várias sonoridades ao longo deste álbum, o que os posiciona já longe do black metal mais tradicional. As duas primeiras faixas, “Fugue Part I” e “Fugue Part II”, são o perfeito exemplo do acima descrito: temas longos, com construções melódicas complexas e uma dose bastante forte de experimentalismo. “With open throat for way too long” é talvez a faixa mais brutal, rápida e directa do álbum. “Heart symbolism” mostra-nos, inicialmente, o lado mais acessível e melódico da banda com largas misturas de blastbeats sendo este mesmo o conflicto interior da banda: a tentativa de criar algo melódico e fácil de absorver mas que ao mesmo tempo tenha uma certa dose de brutalidade. E é neste conflicto que a banda tenta encontrar a sua sonoridade. “Rarefaction” segue esta mesma linha: directa e brutal mas com uma certa dose de melodia. ”Carry that drought because I have no arms anymore” acentua este mesmo conflicto, sendo que a banda tenta absorver algumas das sonoridades mais modernas conciliando-as com as suas raízes mais tradicionais. “The things behind the Moon”, a última faixa do álbum, é talvez a faixa mais longa do mesmo sendo que aqui a banda leva ambos os extremos ao seu apogeu numa mesma faixa. Talvez o tema mais interessante do álbum e que melhor o resume. Um álbum interessante para os fãs de Gojira e bandas similares.

(Les Acteurs de L’Ombre)

[7/10] Eduardo Rocha

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*